Presidente da Câmara de Bayeux rebate prefeito e diz que fiscalização incomoda

O presidente da Câmara de Bayeux, Jefferson Kita, rebateu as acusações do prefeito Berg Lima a respeito do suposto impedimento criado pela Casa para a liberação de recursos do Pré-sal.

Em nota, Kita disse não compreender a urgência do prefeito em utilizar esse recurso, que já está certo na conta da prefeitura.

“Vimos desmenti-lo de maneira veemente da acusação de que a Câmara está obstaculando o repasse da verba à nossa cidade, pelo fato de que não chegou a nós nenhum ofício, como o prefeito afirmou, tão pouco estamos travando sessão alguma, até porque a Câmara encontra-se em recesso e as tramitações ordinárias ficam paradas até o retorno das atividades, ficando apenas as matérias de caráter extraordinário a cargo do presidente neste período”, assegurou.

Confira a íntegra da nota:

NOTA

A Câmara Municipal de Bayeux vem fazer alguns esclarecimentos perante o povo bayeuxense acerca de mais um episódio envolvendo o ataque do prefeito desta cidade ao legislativo municipal.

O prefeito mostra-se claramente incomodado com o trabalho de fiscalização do parlamento mirim, prerrogativa de toda casa legislativa, que, além de fiscalizar, vem cobrando ações e soluções efetivas do Executivo para os problemas da cidade.

Há poucos dias houve o repasse da Outorga Onerosa, por parte do Governo Federal, que se refere à exploração de petróleo na região do pré-sal que gera dividendos para todos os municípios paraibanos e brasileiros.

O que chama atenção é que o prefeito mostra-se desesperado para que a Câmara autorize a dotação para, assim, estranhamente poder gastar o dinheiro que pertence ao povo de Bayeux de maneira suspeita, estando esse dinheiro garantido e guardado na conta da prefeitura, podendo o processo de autorização do gasto seguir toda sua tramitação ordinária nesta Casa.

Reconhecemos que o prefeito tem o direito de pedir uma sessão extraordinária, mas dentro de uma fundamentação de urgência, de relevância e de interesse público.

Vimos desmenti-lo de maneira veemente da acusação de que a Câmara está obstaculando o repasse da verba à nossa cidade, pelo fato de que não chegou a nós nenhum ofício, como o prefeito afirmou, tão pouco estamos travando sessão alguma, até porque a Câmara encontra-se em recesso e as tramitações ordinárias ficam paradas até o retorno das atividades, ficando apenas as matérias de caráter extraordinário a cargo do presidente neste período.

O prefeito também afirma que o dinheiro do petróleo serviria para pagar aos aposentados do IPAM, o que não é verdade, já que o recurso destina-se para pagamento de obras de infraestrutura e dívidas previdenciárias, não para folha de pessoal.

Uma reunião com o Procurador Geral do município foi marcada para a manhã desta sexta-feira (3), apesar do recesso legislativo, para tratarmos do assunto e buscarmos a solução o mais rápido possível.

Enxergamos o ato do gestor do município como mais um ato truculento, que desrespeita de forma flagrante a independência do Poder Legislativo, mas que nos dobrará a qualquer capricho.

Seguiremos fazendo o nosso trabalho, independente de situação.

Jefferson Kita
Presidente da Câmara Municipal de Bayeux

 

 

Da redação com Fonte 83

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Opsss...

Olá, foi detectado um bloqueador de anúncios, por favor deixe aparecer os banners e nos ajude a manter o site em funcionamento. Toda renda dos anúncios são convertidos em conteúdo para você leitor.